Busca no site:

Seeduc(RJ) realiza reunião de acompanhamento de resultados

Encontro teve objetivo de analisar avanços e retrocessos e expor exemplos de boas práticas nas escolas.

Nesta segunda-feira (17/09), a Secretaria de Estado de Educação (Seeduc) realizou a 2ª reunião de primeiro nível do ano, com o objetivo de expor os principais resultados do 2º bimestre. Durante o encontro, as unidades escolares também foram parabenizadas pelo secretário Wilson Risolia pelo avanço do estado no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

- Enquanto o estado todo avançou 12%, a nossa rede teve um avanço de 15%. E fomos o estado que mais avançou em proficiência. Isso significa que nossas crianças e nossos jovens foram os que mais aprenderam em todo o país. Vocês estão de parabéns. Mas não podemos relaxar. O nosso trabalho continua – disse.

Além de falar sobre os resultados do Ideb, foram apresentados os resultados do último IDERJ, índice da Secretaria que leva em conta o Indicador de Fluxo Escolar e o Indicador de Desempenho.

Segundo Risolia, diversas ações vêm sendo adotadas para que as escolas avancem ainda mais.

- No nosso Ensino Médio, 54% das escolas da rede cumpriram as metas, mas tivemos queda na proficiência do segundo segmento do Ensino Fundamental. É por isso que estamos ampliando o reforço escolar. Além disso, só as escolas que atingiram as metas em todos os níveis receberam a bonificação. Esse incentivo tem que ser dado em todos os níveis de ensino, senão podemos criar um problema crônico – destacou.

Na comparação dos resultados do 2º bimestre do ano passado, a regional que mais avançou foi a Centro-Sul. A diretora regional pedagógica, Janete Lopes, explicou algumas das ações que contribuíram para o resultado.

- Só alcançamos esse resultado graças ao trabalho de todos. Realizamos um acompanhamento do Currículo Mínimo, mostramos aos diretores a importância da Gestão Integrada da Escola (Gide), tivemos uma forte atuação dos IGTs nas unidades e um alinhamento das ações para que pudéssemos acompanhar de perto os principais problemas de nossas escolas.

Já as regionais Metropolitanas IV e V ressaltaram as principais dificuldades encontradas, como o grande número de escolas em área de risco e uma quantidade significativa de alunos que estudam no turno da noite.

- Muitos de nossos alunos trabalham de dia em outros municípios e acabam chegando atrasados na escola. Além disso, 22% das nossas escolas ficam em área de risco. É por isso que nosso desafio é enorme. Mas quanto maior o desafio, maior a vitória que teremos pela frente. É por isso que estamos adotando diversas ações para avançar – disse a diretora pedagógica Sandra Amorim.

- Apesar das dificuldades, com as escolas localizadas em áreas mais violentas, a gente vem adotando uma série de ações, como encontros para estimular os alunos a participarem das avaliações externas e oficinas de apropriações dos resultados. Nosso objetivo é fazer de tudo para vencermos a vulnerabilidade social em que esses alunos se encontram – disse Ricardo Morais, diretor pedagógico da Metropolitana IV.

Exemplos de boas práticas

Foram apresentados alguns exemplos de boas práticas das escolas que mais avançaram no Iderj, entre elas o C.E. Evangelina Porto da Motta, em Duque de Caxias, que teve um desvio de 120% em relação ao resultado de 2011 nos anos finais do Ensino Fundamental.

- Os professores entenderam a importância do Saerjinho e corrigem as provas junto com os alunos. Além disso, temos nossos próprios simulados bimestrais, reforço escolar e uma participação efetiva dos pais na vida escolar de seus filhos – disse o diretor Marco Aurélio Gomes.

A diretora Elizabeth Cabral, do C.E. São Bernardo, de Belford Roxo, que foi destaque no Ensino Médio (desvio de 79%), atribuiu o avanço principalmente à implementação da Gide e à aplicação das avaliações diagnósticas, mas também destacou outras atividades que acontecem na escola.

- Realizamos shows de talentos, premiações aos melhores alunos e visitas a museus. Tudo isso com o objetivo de estimular nossos estudantes – destacou.

Destaque no segundo segmento do Ensino Fundamental II e no Ensino Médio, o C.E. Luiz Tito de Almeida, de Itaperuna, também revelou o que levou ao excelente resultado.

- Grande parte de nossos alunos trabalha na agricultura ou na pecuária. Então eles têm muita garra. Eles chegam à escola com muita vontade de estudar – disse a diretora Renata Pacheco.

Ela revelou ainda que todos na escola se empenharam para que os avanços fossem possíveis.

- Realizamos um trabalho intenso para que eles entendessem a importância do Saerjinho, trouxemos os pais para participar da rotina dos estudantes e tivemos uma união de nossa equipe para combater a reprovação.

A Integrante do Grupo de Trabalho (IGT) destaque, professora Nádia Martins, da Metropolitana IV, também falou sobre o trabalho desenvolvido na sua regional.

- Focamos em aulas atrativas e projetos pedagógicos para motivar os alunos e apresentar novas perspectivas. Também criamos uma equipe, chamada PAR, para atender às unidades cercadas por comunidades violentas. A gente tenta fazer o melhor por nossas escolas – disse.

Painéis discutem melhorias para setores

A segunda parte da Reunião de 1º Nível começou com a apresentação de alunos do CE Raymundo Corrêa, de Queimados. O grupo interpretou diversas músicas do repertório nacional, que emocionaram o público.

Mas engana-se quem pensa que os jovens estavam ali apenas para a performance musical. Para o vocalista do grupo, Rodrigo Rangel de Souza, o momento foi de reflexão. O jovem é parlamentar juvenil e apresentou um projeto na Assembleia Legislativa que veio ao encontro do programa Dupla Escola, lançado na última semana pela Seeduc, que prevê a oferta do Ensino Médio aliado ao Ensino Profissional.

- Acho importante a oportunidade de fazer um curso técnico no Ensino Médio, para incentivar os jovens e mostrar caminhos para a vida profissional – destacou Rodrigo, que pensa em cursar Direito e ingressar na Polícia Federal, ao lado dos colegas Marcus Vinícius Pereira Guerra (saxofone) e Moisés Prazeres (teclado).

O primeiro tema da tarde a ser debatido foi a distorção idade-série. A mesa foi composta pelo subsecretário de Gestão de Ensino, Antonio Vieira Neto; pela superintendente de Planejamento e Integração das Redes, Anna Paula Velasco; pela superintendente Pedagógica, Claudia Raybolt; pela coordenadora de EJA, Rosana Mendes; e pela gestora pública, Juliana Leitão.

- Fizemos um estudo e percebemos que temos uma elevada distorção idade-série que precisamos enfrentar. – disse Antonio Neto aos participantes. No Ensino Médio, 175.612 alunos matriculados ensino regular estão em defasagem. Desses, 30 mil têm 21 anos ou mais.

Em busca de soluções, a Secretaria de Educação traçou estratégias para reverter o quadro. As duas principais são a Nova EJA e o Programa Autonomia.

A Nova EJA terá início no próximo ano, em 503 unidades escolares estaduais. Em parceria com a Fundação Centro de Ciências e Educação Superior a Distância do Estado do Rio de Janeiro (CECIERJ), a nova política de Educação de Jovens e Adultos (EJA) tem como objetivo promover a inserção de alunos, de 18 anos ou mais, no mercado de trabalho, utilizando conteúdo mais atrativo, com material didático e carga horária adequados a essa faixa-etária.

Já o Programa Autonomia é o resultado da parceria entre a Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro e a Fundação Roberto Marinho e visa corrigir o fluxo, acelerando o aprendizado e diminuindo a distorção dos ensinos Fundamental e Médio.

A segunda mesa foi formada pelo subsecretário de Gestão de Pessoas, Luiz Carlos Becker; pelos superintendentes de TI, Orlando Saboya, e de Infraestrutura, Fátima Abreu; pela coordenadora da Central de Relacionamento, Delânia Cavalcanti; e pela gestora pública Juliana Sant’ana.

O subsecretário Becker traçou um panorama do que já foi investido em prol da valorização dos professores, como a concessão de auxílios de difícil acesso e difícil provimento, e também para combater a carência de professores e de outros profissionais da rede.

- Vamos fazer dois concursos para o magistério, de 30h e 16h, e outro para o cargo de inspetor de escolas – informou.

Para a rede física, o trabalho também será intensificado, segundo a superintendente Fátima Abreu, sem deixar de lado a conscientização para que os prédios novos e reformados sejam preservados.

Os participantes da tarde também conheceram o mais novo canal da Central de Relacionamento, para questões de TI e telefonia. O Suporte Seeduc, 0800 645 2847, acaba de ser lançado e foi criado para atender ao usuário interno da Seeduc nas demandas de serviços e suporte técnico nas áreas de Tecnologia da Informação e Telecomunicações. Professores e gestores das unidades escolares, bem como funcionários das Diretorias Regionais e da sede da Seeduc, terão a sua disposição um serviço online e uma moderna Central Telefônica.

Para encerrar a reunião, o subsecretário executivo, Amaury Perlingeiro, relembrou todas as ações já implementadas desde que o secretário Wilson Risolia assumiu. Perlingeiro destacou o comprometimento da equipe, que fez com que o Rio fosse o 2º estado a crescer mais em toda a federação.

- Tenho verdadeira admiração pelo trabalho que vocês desenvolvem. Chegamos à 15ª posição. Vamos somar forças! – concluiu.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro (SEEDUC)


Criado em: 20 set 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Metropolitana V realiza palestra “Os aspectos da Avaliação Externa” (Rio)

Diretores, orientadores, professores e alunos discutiram as avaliações realizadas pela Seeduc.

Diretores, orientadores pedagógicos, professores e alunos da Diretoria Regional Metropolitana V (Duque de Caxias) debateram “Os aspectos da Avaliação Externa”. A superintendente de Acompanhamento e Avaliação, Vânia Machado, falou sobre os aspectos e a importância das avaliações realizadas pela Seeduc. Leia +


Criado em: 13 jun 2012 | Tags: , ,
Categoria: Avaliação Externa, Notícias |