Busca no site:

Ministros do Mercosul vão criar indicadores regionais de avaliação

Os países que integram o Mercosul vão realizar em fevereiro, em Buenos Aires, um seminário regional de avaliação da qualidade da educação no bloco. Três níveis serão avaliados: os sistemas educacionais; a metodologia dos instrumentos internacionais, especialmente o Pisa, realizado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE); a construção de indicadores regionais da qualidade da educação nos países da América do Sul.

A decisão foi tomada durante a 43ª Reunião de Ministros de Educação do Mercosul, realizada nesta sexta-feira, 23, em Brasília, sob a presidência de Aloizio Mercadante. Participaram do encontro, além do ministro brasileiro, os da Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Uruguai e Peru. Eles se comprometeram a elaborar, conjuntamente, um documento com análise crítica dos indicadores internacionais de educação do Pisa [Program for International Student Assesment].

“O Pisa é importante para o Brasil, mas a avaliação da educação é muito mais ampla do que o recorte feito pelo exame, que se restringe a alunos de 15 anos. Queremos criar novos instrumentos de avaliação regional”, explicou o ministro Aloizio Mercadante, que tem a presidência pro tempore do Mercosul educacional. O documento final, com sugestões dos ministros, será depois encaminhado ao comitê executivo do Pisa.

Segundo o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Luiz Cláudio Costa, o Pisa apresenta algumas distorções que acabam empurrando o Brasil para uma posição menos favorável no ranking internacional. “Se queremos comparar exames de diferentes países, isso é um desafio. É preciso o uso apropriado das técnicas estatísticas”, disse.

Nesse sentido, o ministro de educação da Argentina, Alberto Sileone, disse que o Pisa compara realidades incomparáveis. “Nós vamos ratificar nossa permanência no Pisa, mas somos parte de países que têm encontrado uma posição mais soberana de incorporar reflexões próprias”, afirmou. E sugeriu que os países da América do Sul incorporem um critério comum de avaliação da educação, inclusive incluindo áreas não contempladas pelo Pisa.

Bolsas – Na reunião realizada no Ministério da Educação ficou também definida a criação de um programa de bolsas, custeado pelo Fundo para a Convergência Estrutural e Fortalecimento Institucional do Mercosul (Focem), destinado a financiar projetos em benefício das economias menores do bloco. Serão 1 mil bolsas para estudantes de graduação, 1 mil para a pós-graduação e outras 1 mil para o intercâmbio de docentes e pesquisadores. Num total de 3 mil bolsas anuais, o programa tem previsão de custar R$ 26 milhões.

Os países do Mercosul também vão aumentar o intercâmbio de estudantes, pesquisadores e docentes em cursos de graduação e pós-graduação. “Temos possibilidade de aumentar o intercâmbio e incluir mais países”, afirmou o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Guimarães. Atualmente dentro do programa de mobilidade no Mercosul, o Brasil tem acordos com a Argentina e Uruguai. As bolsas serão para cursos acreditados no Mercosul: agronomia, arquitetura, engenharia, enfermagem, medicina e odontologia.

Os ministros decidiram ainda ampliar a acreditação de cursos nas áreas de ciências sociais, incluindo sociologia e economia. Será feita também a publicação de uma revista científica sobre humanidades, educação e ciências sociais. “Seria uma publicação trilíngue, em português, espanhol e inglês, para valorizar a produção da academia regional científica”, disse o ministro Aloizio Mercadante.

O vice-ministro de educação do Uruguai, Luis Garibaldi, sugeriu a criação de um banco de recursos educativos digitais e audiovisuais, de livre acesso a todos os países do bloco. A oficina de trabalho com especialistas será realizada em março de 2013, em Montevidéu. A 43ª reunião do Mercosul teve a participação de representantes das centrais sindicais do Cone Sul.

Fonte: MEC


Criado em: 26 nov 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Escolas da rede estadual de Alagoas participam de provas do Programa Internacional para Avaliação de Alunos

Ademir Oliveira ressalta amplitude da avaliação

Testes foram aplicados até sexta-feira (25/05) em 30 escolas particulares e públicas de Alagoas.

Até a última semana, 30 escolas públicas e particulares de Alagoas participaram de provas escritas e eletrônicas do Programa Internacional para Avaliação de Alunos (Pisa). A avaliação é direcionada a estudantes com 15 anos matriculados no 7º, 8º e 9º ano do Ensino Fundamental ou em uma das séries do Ensino Médio.

O Pisa foi criado no ano 2000, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), para avaliar as competências básicas de estudantes dos países membros e de países convidados, a exemplo do Brasil.

Realizado de três em três anos, o Pisa foi pensado com o objetivo de produzir indicadores que contribuam, dentro e fora dos países participantes, para a discussão da qualidade da Educação Básica ministrada pelas escolas. A partir da avaliação, o programa vai ajudar a subsidiar políticas nacionais de melhoria da educação.

A avaliação visa mostrar em que medida os estudantes que se aproximam do final da educação obrigatória adquiriram alguns dos conhecimentos e habilidades essenciais para o desenvolvimento de atividades cotidianas. Os testes também avaliam a capacidade do estudante de ler e compreender textos digitais e de resolver problemas apresentados em formato digital, refletindo a importância da tecnologia de informação e computação nas sociedades moderna.

A adesão das instituições de ensino à iniciativa é espontânea e a seleção das escolas é feita por meio de um convênio internacional, sob a responsabilidade da Coordenação do Pisa.O técnico pedagógico da Gerência de Avaliação da Secretaria de Estado da Educação, Ademir Oliveira, foi designado para atuar como coordenador estadual do Pisa 2012.

“O programa não mede apenas o conhecimento teórico, aquele que é usado em sala de aula. Ele vai além disso, avalia de que forma os conteúdos são utilizados na prática, no dia a dia desses jovens, seja no trabalho ou na vida social”, enfatiza o coordenador.

Fonte: Secretaria de Estado da Educação e do Esporte de Alagoas – Texto: Ascom SEE – Foto: Valdir Rocha


Criado em: 28 mai 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Estudantes participam do Programa de Avaliação Internacional

Alunos das Unidades Escolares Petrônio Portela (PI) e Severiano Sousa (PI) participaram nos dias 23 e 24 do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes). Trata-se de comparativo de avaliação, desenvolvido pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), destinado à avaliação de estudantes de 15 anos de idade, fase em que, na maioria dos países, os jovens terminaram ou estão terminando a escolaridade mínima obrigatória.

De acordo com a diretora da Unidade Escolar Petrônio Portela,  Profª Fátima Vieira, a ação, que acontece paralelamente em 60 países, é de fundamental importância, pois, através do processo que envolve provas das disciplinas de Português e Matemática,  é possível avaliar melhor o perfil do aluno, bem como o tipo de aprendizagem que os mesmos estão recebendo. “Eu gostaria que fosse possível que essa avaliação fosse aplicada para alunos de todas as idades”, comentou a professora.

Os estudantes, segundo a diretora, também são submetidos a responder um formulário sócio-econômico, nos parâmetros dos aplicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística-IBGE, também com o objetivo de conhecer melhor a realidade em que os jovens vivem.

O PISA é aplicado desde o ano 2000 e tem como objetivo avaliar aptidões ou competências comparáveis internacionalmente, além de produzir, em todos os países envolvidos, indicadores de desempenho estudantil voltados para as políticas educacionais, fornecendo orientação, incentivo e instrumentos para melhorar a efetividade da educação, além de possibilitar a comparação internacional.

Fonte: Secretaria Estadual de Educação e Cultura do Piauí


Criado em: 25 mai 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

CAEd realiza treinamento de capacitação para PISA

Na última sexta-feira, dia 13, foi realizado no Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação – CAEd/UFJF o treinamento para as avaliações do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (PISA) do ano de 2012. O evento contou com a participação de coordenadores estaduais, e seus respectivos apoios, de todos os estados do Brasil. Ministrado pelos representantes do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), João Bachetto Galvão e Kátia Pedroza, o evento foi estruturado em duas etapas. A primeira delas aconteceu no anfiteatro do Instituto de Ciências Humanas (ICH) da UFJF e a segunda foi realizada no CAEd, unidade Dom Orione/ Juiz de Fora.

O PISA será realizado no mês de maio e envolve em seu programa mais de 60 países. O programa tem caráter amostral e é considerada a maior pesquisa internacional em educação. Participam desse programa estudantes nascidos em 1996, os quais são avaliados nos seguintes quesitos: o preparo para a vida adulta e o letramento em Matemática, Ciências, Resolução de problemas e Leitura. Os resultados dessa avaliação indicam, entre outras questões, o desempenho dos estudantes das escolas públicas. Além disso, os resultados também identificam as áreas que necessitam de melhorias no sistema de educação de cada país. Em suma, o programa tem a pretensão de avaliar a qualidade da educação dos países participantes.

Os materiais e avaliações do PISA são produzidos pelo INEP, porém o CAEd é responsável pela operacionalização  da aplicação e correção dos testes. O CAEd oferece toda a estrutura para a realização dos treinamentos, a fim de que os coordenadores participantes assumam caráter multiplicador, disseminando as informações básicas e necessárias para os aplicadores dos testes em seus estados. É disponibilizado um coordenador regional/CAEd para dar suporte a um grupo de estados, viabilizando a comunicação direta com os coordenadores estaduais e visando o sucesso na realização do PISA 2012. De acordo com Lulude Furiati, Coordenadora de Operações de Campo (COA), o treinamento é de grande importância, uma vez que “objetiva a padronização dos procedimentos de aplicação dos testes, para que os mesmo aconteçam em condições de igualdade para todos”.

Para realização dos testes, são selecionadas por amostragem algumas escolas de cada estado e, da mesma forma, alguns estudantes de cada escola. Cada turma participante é formada por no máximo 35 estudantes. O PISA é composto de Avaliação em Papel, Avaliação em Computador, Questionário do Aluno e Questionário da Escola.

Para mais detalhes sobre o PISA, basta acessar o site  www.pisa.oecd.org.


Criado em: 19 abr 2012 | Tags: , ,
Categoria: Notícias |