Busca no site:

Secretaria da Educação de Goiás e CAEd realizam mais uma formação para uso pedagógico dos resultados do SAEGO

Participaram tutores, diretores de núcleos pedagógicos e tecnológicos das regionais

A Secretaria de Estado da Educação (Seduc) e o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) realizaram, em Goiânia, mais uma etapa presencial da formação destinada à análise e ao uso pedagógico dos resultados do SAEGO (Sistema de Avaliação Educacional do Estado de Goiás). Durante o encontro, os educadores receberam dos técnicos do CaEd orientações que facilitam a análise dos resultados das provas e também do questionário socioeconômico aplicado por ocasião das provas de Língua Portuguesa e Matemática em toda a rede pública.

Os participantes da formação em Goiânia receberam explicações de como são estruturados os 21 diferentes cadernos de provas do SAEGO, com a utilização de 75 itens de Língua Portuguesa e 75 itens de Matemática. Também analisaram os vários aspectos que envolveram a produção e a análise dos questionários socioeconômicos respondidos – com o SAEGO – pelos estudantes e também pelos professores, gestores das escolas e coordenadores pedagógicos. Os questionários são instrumentos para melhor compreender os fatores internos e externos à escola que influenciam no aprendizado dos alunos.

O objetivo da capacitação era o de favorecer aos educadores as condições para que, a partir dos resultados do SAEGO, pudessem compreender melhor a realidade dos alunos, dos professores e da escola e contribuir para o melhor ensino e aprendizado na rede pública do estado de Goiás.

As provas - A escala de proficiência utilizada para a produção dos testes do SAEGO é a mesma de exames de larga escala como o SAEB (Sistema de Avaliação da Educação Básica no Brasil), que tem como base a Teoria de Resposta ao Item (TRI) – que permite a comparação com anos anteriores, entre escolas e entre turmas, além da análise tanto da resposta certa quanto da resposta errada, identificando os chamados “chutes”, entre outras possibilidades.

Divididos em dez oficinas, que foram conduzidas por cientistas sociais, geógrafos e outros profissionais analistas do CaEd, os educadores da rede estadual puderam, no segundo dia da formação presencial, discutir com profundidade o ensino e a avaliação da Matemática, o ensino e a avaliação da Língua Portuguesa, e também o Contexto Socioeconômico em que a escola está inserida. De forma alternada, eles participaram de todas as oficinas.

De acordo com o sociólogo Túlio Silva de Paula, um dos analistas do CAEd que orientou os trabalhos nas oficinas de capacitação, há vários fatores que influenciam o aprendizado dos estudantes na escola – internos e externos – e é preciso estar preparado para fazer a análise desses fatores. Para abrir a oficina, ele utilizou diferentes gráficos produzidos pelo IBGE no censo de 2010, estimulando o debate e instigando os educadores – a maioria tutores pedagógicos – a observarem as inúmeras possibilidades de leitura a partir das imagens.

Em seguida, ele passou à apresentação dos fatores que fazem diferença no desempenho do aluno na escola, abordando ainda a eficácia da unidade educacional, eficácia do professor e eficácia do aluno. Entre aqueles fatores que tornam uma escola melhor, está a liderança do gestor, a relação do professor com o aluno, a cultura escolar positiva e as altas expectativas quanto ao rendimento escolar, além de outros fatores associados.

Dos fatores externos que mais influenciam a vida escolar dos estudantes, segundo Túlio Silva de Paula, estão a motivação e a expectativa dos pais em relação ao desempenho dos filhos. “Não é preciso que os pais sentem com os filhos e os ajudem diretamente nas tarefas, mas que se coloquem diariamente presentes, procurando saber se precisam de ajuda, se eles estão indo bem, se têm dificuldades, encorajando-os para que façam o melhor, disciplinando horários para os estudos, entre outros aspectos. Em outras palavras, uma família que motiva os filhos amplia as chances de sucesso deles na vida escolar”, enfatizou.

A formação para o uso pedagógico dos resultados do SAEGO continua a distância, por meio de plataforma específica disponibilizada aos tutores, diretores de núcleo pedagógico e NTEs e subsecretários regionais de Educação. Esses resultados do SAEGO estão subsidiando a Secretaria da Educação na definição de novas diretrizes pedagógicas para a rede pública estadual.

Fonte: Secretaria da Educação do Estado de Goiás


Criado em: 20 jun 2012 | Tags: ,
Categoria: Avaliação Externa, Notícias |