Busca no site:

Escolas com tempo integral têm forte evolução no desempenho

Escolas participantes do programa Mais Educação, com todos os estudantes matriculados no regime de tempo integral, apresentaram evolução significativa de desempenho na Prova Brasil. A constatação é de estudo da Secretaria de Educação Básica (SEB) do Ministério da Educação. O Mais Educação (PME) atende instituições de ensino com baixos indicadores de qualidade educacional localizadas em zonas de vulnerabilidade social. Contabilizadas todas as escolas que participam do programa, o desenvolvimento também foi melhor do que a média nacional.

No estudo, a SEB selecionou as médias de três grupos de escolas — as do PME em que todos os alunos estudam em tempo integral; todas as escolas vinculadas ao PME; escolas públicas do Brasil. A partir daí, foi feita a comparação da evolução do rendimento, por grupo, nas áreas de língua portuguesa e matemática nas edições da Prova Brasil de 2007, 2009 e 2011.

As médias em português dos estudantes do quinto ano das escolas do PME com 100% das matrículas em tempo integral passaram de 164,19 em 2007 para 182,81 em 2011. Em matemática, de 180,71 para 201,87 no mesmo período. Nesse mesmo espaço de tempo, os estudantes do nono ano passaram de 227,31 para 238,62 em português e de 236,03 para 244,13 em matemática.

Em língua portuguesa, a diferença entre a média nas escolas do PME 100% integral e de todas as escolas públicas do Brasil, para estudantes do quinto ano, diminuiu de 7,21 pontos em 2007 para 2,68 em 2012, o que significa evolução. As médias em matemática dos estudantes do nono ano do ensino básico de escolas do PME 100% integral, que eram 4,53 pontos inferiores à média nacional em 2007, em 2011 foram 1,1 ponto superiores.

Diálogo — De acordo com a diretoria de currículos e educação integral da SEB, Jaqueline Moll, o programa Mais Educação é uma ação indutora que promove a ampliação efetiva da jornada escolar. “Nós nos habituamos a uma escola de quatro horas; o caminho que buscamos com o Mais Educação é aumentar o número de horas na escola, com um diálogo entre os conteúdos tradicionais e instrumentos e temas contemporâneos”, afirmou.

O Mais Educação foi criado em 2007 para atender, inicialmente, 1.380 escolas que apresentavam os piores resultados no índice de desenvolvimento da educação básica (Ideb) e eram consideradas em situação de vulnerabilidade. De acordo com a proposta do programa, no turno oposto ao das aulas, os alunos têm acompanhamento pedagógico obrigatório. Contam ainda, com café da manhã, almoço e lanche. Os professores ajudam nas tarefas, tiram dúvidas e dão aulas de reforço, principalmente de português e matemática.

Este ano, o programa chegou a 32 mil escolas. Para os próximos anos, a perspectiva é de ampliação. “A meta é atender 60 mil escolas em 2014”, disse Jaqueline Moll. O orçamento é de R$ 1,5 bilhão, oriundos do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e do Plano Nacional de Alimentação Escolar (Pnae).

Com o desenvolvimento do PME, o número de escolas com 100% das matrículas em tempo integral aumentou 178,9% — de 161 unidades em 2010 para 449 em 2011. O total de estudantes atendidos nessas escolas passou de 59.274 para 132.706 no mesmo período, o que significa aumento de 123,9%. “O programa permite que as escolas criem um ambiente favorável à permanência e ao aprendizado dos estudantes”, destacou Jaqueline.

Apenas os estados do Acre, Amapá e Sergipe não contam ainda com escolas com 100% de alunos matriculados no regime de tempo integral.

Confira as tabelas com a evolução dos grupos de escolas

Fonte: MEC


Criado em: 08 out 2012 | Tags: , , ,
Categoria: Notícias |

Desempenho fraco do ensino médio público estimula mudanças curriculares

O Ministério da Educação estuda um novo modelo de ensino, em que as atuais 13 disciplinas serão distribuídas em apenas 4 grandes áreas. Na Câmara, uma comissão especial também estuda novos modelos para o ensino médio.

O desempenho dos alunos do ensino médio não evoluiu entre 2009 e 2011. Essa é a avaliação do Ministério da Educação (MEC), que anunciou em agosto o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), uma espécie de exame geral do ensino básico no País calculado a partir das taxas de aprovação e do resultado médio dos alunos em provas de português e matemática. Especialistas apontam o currículo dessa etapa de ensino como uma das causas para as baixas notas.

Entre 2005 e 2009, o Ideb alcançado pelas escolas públicas passou de 3,1 para 3,4, em uma escala que varia de zero a dez. Mas a nota parou de evoluir a partir de 2009. Além disso, em nove estados (Acre, Maranhão, Espírito Santo, Pará, Alagoas, Paraná, Paraíba, Bahia e Rio Grande do Sul), o ensino médio chegou a retroceder em comparação com 2009.

Na média geral, o resultado do Ideb cumpriu a meta do MEC para o ano passado. Mas até o governo já admitiu que o desempenho do ensino médio foi pior que o esperado. Em entrevista coletiva, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, admitiu que essa etapa de ensino é “um grande desafio” para qualquer sistema educacional.

Na Câmara, dois projetos de lei preveem a divulgação do Ideb de cada escola em murais visíveis a toda comunidade (PLs 1530/11 e 1536/11).

Muitas disciplinas
Um dos maiores problemas apontados por especialistas é o excesso de disciplinas ensinadas aos alunos. Hoje, o currículo do ensino médio tem 13 disciplinas obrigatórias. “Não há quem aguente, especialmente com atrasos escolares e avanços na idade, um currículo com 13 componentes isolados e enciclopédicos e que não atendem às necessidades de vida do jovem, que tem que saber o que quer e já fez opções importantes na vida”, alerta o professor da Universidade Católica de Brasília Cândido Alberto Gomes.

“Essa desmotivação acaba levando à evasão escolar”, alerta o diretor do Sindicato dos Professores do Distrito Federal (Sinpro/DF), Rodrigo Rodrigues.

O doutor em Economia Claudio de Moura Castro concorda. “O currículo atual é excessivo, tem disciplinas demais, é chato, não fala do mundo real, é desinteressante e, portanto, altamente desencorajador. É preciso um pai muito insistente para conseguir que um filho fique na escola. Na prática, metade vai embora depois de entrar no ensino médio”.

“É importante discutir qual é o objetivo do ensino médio para vida desses alunos? Hoje o ensino médio está pautado para realização do vestibular, e o vestibular é limitante, tem índices de exclusão muito grandes”, pondera Rodrigo Rodrigues.


Criado em: 27 set 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Baixo desempenho de aluno pode ser reflexo da falta de afeto

Antes de rotular um estudante como um aluno-problema, educadores devem investigar as razões do baixo desempenho, que, muita vezes, se torna empecilho para o avanço da turma e do seu próprio desenvolvimento social e intelectual. Alunos que apresentam problemas de rendimento e socialização devem ser acompanhados por orientadores educacionais e terem seu histórico escolar investigado para que haja um conhecimento mais aprofundado sobre seu perfil enquanto estudante.

Para a orientadora educacional da escola Pastor Dohms de Porto Alegre (RS), Vera Arlete Pereira, independentemente da idade do aluno, é necessário que haja um atendimento diferenciado. “Em caso de hiperatividade, é necessário que o aluno seja ocupado com mais atividades que o instiguem. No caso de um aluno com déficit de aprendizado, o professor deve se adequar às necessidades, não o excluindo da turma”, recomenda. Na visão de Vera, é essencial que esse estudante se sinta integrado. “Esse aluno não deve ser afastado. Uma opção é que ele seja escolhido como ajudante do professor, por exemplo. O aluno deve se sentir parte ao grupo”, destaca.

Em casos de grandes desvios de aprendizado ou conduta é necessária a intervenção dos pais. Segundo Vera, é importante que haja um diálogo aberto entre pais e escola. “A questão dos limites deve ser trabalhada. A sintonia entre escola e família ajuda o aluno a assimilar a conduta correta, tornando o processo mais natural”, diz.

Vera ressalta ainda que não existem casos perdidos. Mas que o apoio da família é essencial. Orientador educacional e ex-Coordenador de Programas para Juventude do Governo do Estado de São Paulo, Maurício Sampaio observa que tanto pais quanto educadores devem evitar rotular uma criança. Taxá-la como “problemática” pode acabar por influenciá-la e, assim, afetar sua autoestima e consequentemente levá-la a perder o interesse. Por fim, o aluno pode apresentar mais problemas de aprendizado e sociabilidade.

“A ‘criança-problema’ é o aluno com desvios comportamentais, dificuldades de foco e aprendizado, mas isso não significa que ela tenha uma anomalia. Pode ser apenas desinteresse pela matéria ou professor”, destaca. Contudo, acrescenta Sampaio, problemas sociais e familiares também devem ser levados em conta. “A falta de afeto influi nesse quadro. Atenção e carinho são essenciais. Uma criança com problemas de aprendizado pode se rebelar, apresentando problemas para chamar a atenção. Problemas de sociabilidade e de aprendizado muitas vezes andam juntos. Para isso, feedback de pais e educadores é importante no processo para minimizar os problemas”, afirma Sampaio.

Bem como Vera, Sampaio aponta o diálogo como passo inicial para uma ajuda ao aluno. “Traçar metas e objetivos junto a ela é importante para que a criança veja suas melhorias”, explica. Porém, se todos esses cuidados não surtirem efeitos, Sampaio destaca a necessidade de um acompanhamento profissional. “Caso nenhuma das medidas ajude a criança, é necessária a procura de profissionais capacitados, como psicólogos, que podem diagnosticar problemas psicológicos e, por meio de acompanhamento ou medicação, ajudarem na melhora dessa criança”, frisa.

Fonte: Terra


Criado em: 10 set 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Mais de mil estudantes são contemplados em primeiro dia de premiação em Campo Grande

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, acompanhado da secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa, iniciou na manhã (10) a entrega de tablets, netbooks e bicicletas para os estudantes da Rede Estadual de Ensino de Campo Grande com melhor desempenho escolar em 2011. A premiação faz parte do Programa Escola para o Sucesso, que este ano beneficiará quase 15 mil estudantes em todo o Estado. Os três melhores estudantes de cada série do ensino fundamental, do ensino médio e da Educação para Jovens e Adultos (EJA) das 362 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul estão recebendo os prêmios em reconhecimento ao seu esforço, dedicação nos estudos e frequência nas aulas.

De acordo com a secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa, “o Programa Escola para o Sucesso, que premiará 3.441 estudantes nos polos de Campo Grande, faz parte de um grande trabalho desenvolvido pela SED, que envolve melhoria nas unidades escolares e reconhecimento da dedicação e envolvimento de estudantes, professores, diretores e pais, a prova de que o sucesso da educação é resultado do esforço conjunto de todos”.

Na capital, a distribuição dos prêmios foi dividida em cinco etapas para facilitar a locomoção dos estudantes e suas famílias. Hoje de manhã, o governador entregou a premiação no Parque Jaques da Luz, no bairro Moreninha II, para as escolas estaduais da região do Bandeira, Anhanduzinho e do município de Nova Alvorada do Sul. À tarde, a entrega foi no Parque Ayrton Senna, no Aero Rancho, para as escolas estaduais da região da Lagoa, do Anhanduizinho e do município de Sidrolândia. Neste primeiro dia de entrega em Campo Grande, 1.399 estudantes foram contemplados.

Para a diretora da Escola Estadual Waldemir de Barros da Silva, Ernângela Maria de Souza Calixto, “a premiação valoriza os estudantes, mas também contribui com a melhoria da educação e diminui a evasão fazendo com que os jovens permaneçam na escola e sigam uma carreira acadêmica depois, é mais uma ferramenta de um trabalho educacional desenvolvido entre a SED, a escola, a família e a comunidade”.

Por trás das notas boas, na frequência nas aulas e da rotina de estudos dos alunos premiados existem muitas histórias interessantes, de superação e conquista. É o caso de Renan Siqueira Gonçalves, 17 anos, estudante do 4º ano do curso técnico de Informática integrado ao ensino médio da Escola Estadual Waldemir de Barros da Silva, que sempre foi bom aluno. No ano passado, ele ganhou um notebook pelo desempenho em 2010 e de lá para cá a vida dele mudou. O pai de Renan morreu há seis meses e a mãe há apenas 15 dias, mas isso não é desculpa para o menino dedicado que este ano está recebe um tablet pelo primeiro lugar. “Eu nunca tirei nota vermelha e mesmo tendo perdido meus pais recentemente não penso em desistir, quero trabalhar e cuidar do meu futuro, fazer um curso universitário na área de Matemática. O tablet e o notebook que recebi são legais, mas para mim o reconhecimento do meu esforço é que vou levar para o resto da vida”, contou. Outro exemplo é Janaíne Gonçalves, 23 anos, estudante da Escola Estadual Teotônio Vilela: “Fiquei cinco anos sem estudar porque tenho dois filhos pequenos, mas ano passado voltei para a escola e hoje estou recebendo uma bicicleta, agora quero terminar os estudos e encontrar um bom emprego”.

O Programa Escola para o Sucesso foi instituído por meio de um decreto publicado no Diário Oficial do Estado de 4 de fevereiro de 2011. De acordo com o decreto, os estudantes das escolas estaduais de Mato Grosso do Sul que apresentam melhor desempenho escolar, com base nas avaliações bimestrais e assiduidade às aulas, receberão, anualmente, prêmio que poderá ser em espécie, equipamentos ou materiais, de acordo com as definições do governador do Estado. No passado, 4.910 estudantes da Rede Estadual, classificados em primeiro lugar em cada série, receberam um notebook. Neste ano, os três primeiros estão sendo contemplados e a meta do governador é premiar os cinco melhores estudantes de cada ano escolar.

E os planos de André Puccinelli vão além. “No início de 2013 entregaremos um tablet ou um notebook para todos os diretores das escolas estaduais de Mato Grosso do Sul e eu não termino o meu mandato sem antes entregar um equipamento também para todos os professores e professoras especialistas da Rede Estadual”. A inspiração para a premiação e valorização do trabalho bem desenvolvido vem da infância do governador, de uma lembrança guardada há mais de cinquenta anos, quando ele recebeu do pai um saquinho com bolinhas de gude por uma nota dez no boletim. “Foi uma alegria para mim. Então hoje estes prêmios são uma forma de estimular os alunos da Rede Estadual de Ensino para que tenham uma qualidade igual ou superior aos alunos das escolas particulares. É um incentivo para que as crianças estudem e tenham um bom desempenho para serem futuros bons profissionais”, explicou.

Dia (11) os estudantes receberão seus tablets, netbooks e bicicletas no Parque Tarsila do Amaral, bairro Vida Nova. Em Campo Grande, a entrega termina na segunda-feira (14), às 9 horas na Escola Estadual Joaquim Murtinho, Centro, e às 14 horas no Ginásio Dom Bosco, Jardim São Paulo.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul

 


Criado em: 11 mai 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Premiação para os melhores estudantes da Rede Estadual (MS)

O governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, esteve ontem (7) em Terenos para a entrega de 39 tablets, 36 netbooks, 12 bicicletas aro 24 e 24 bicicletas aro 26 para os estudantes da Rede Estadual de Ensino com melhor desempenho escolar em 2011.

A premiação faz parte do Programa Escola para o Sucesso, que este ano beneficiará quase 15 mil estudantes. Os três melhores estudantes de cada ano do ensino fundamental, do ensino médio e da Educação para Jovens e Adultos (EJA) das 362 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul receberão os prêmios em reconhecimento ao seu esforço, dedicação nos estudos e frequência nas aulas.

“Esta premiação é um incentivo muito grande para que o estudante aprenda mais, valorize o conhecimento e busque ser o melhor. É o reconhecimento pelo trabalho e envolvimento dos que estudaram e também da dedicação de diretores, professores e pais”, conta a secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa.

Na solenidade de Terenos, o governador entregou prêmios para 111 estudantes das escolas estaduais Antonio Valadares, Eduardo Perez e Antonio Nogueira da Fonseca. Depois de distribuir no ano passado, 4.910 notebooks para os melhores alunos de 2010, o governador decidiu ampliar a premiação, entregando 4.910 tablets para os primeiros colocados de cada ano escolar, 4910 netbooks para os segundos e 4.910 bicicletas para os terceiros.
O Programa Escola para o Sucesso foi instituído por meio de um decreto publicado no Diário Oficial do Estado de 4 de fevereiro de 2011. De acordo com o decreto, os estudantes das escolas estaduais de Mato Grosso do Sul que apresentam melhor desempenho escolar, com base nas avaliações bimestrais e assiduidade às aulas, receberão, anualmente, prêmio que poderá ser em espécie, equipamentos ou materiais, de acordo com as definições do governador do Estado.

Para 2013 o governador pretende ir além. “Queremos ter a chance de premiar mais alunos que estão se esforçando a cada ano. Pode ocorrer de o aluno se destacar e conquistar o primeiro lugar em várias séries ao longo da vida escolar. Desta forma ele acaba ganhado todos os anos, com mais prêmios a outros colocados temos oportunidade de premiar mais alunos que também têm se esforçado”, explica o governador.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação do Mato Grosso do Sul


Criado em: 09 mai 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Premiação para os melhores estudantes da Rede Estadual de Campo Grande começa esta semana

O governo de Mato Grosso do Sul inicia esta semana a entrega de tablets, netbooks e bicicletas para os estudantes da Rede Estadual de Ensino de Campo Grande com melhor desempenho escolar em 2011. A premiação faz parte do Programa Escola para o Sucesso, que este ano beneficiará quase 15 mil estudantes em todo o Estado.

Os três melhores estudantes de cada ano do ensino fundamental, do ensino médio e da Educação para Jovens e Adultos (EJA) das 362 escolas estaduais de Mato Grosso do Sul receberão os prêmios em reconhecimento ao seu esforço, dedicação nos estudos e frequência nas aulas.

Na capital, a distribuição dos prêmios foi dividida em cinco etapas para facilitar a locomoção dos estudantes e suas famílias. Na quinta-feira (10), às 9 horas, o governo entrega a premiação no Parque Jaques da Luz, no bairro Moreninha II. Às 14 horas, a entrega é no Parque Ayrton Senna, no Aero Rancho.

Na sexta-feira (11) os estudantes receberão seus tablets, netbooks e bicicletas no Parque Tarsila do Amaral, bairro Vida Nova. Em Campo Grande, a entrega termina na segunda-feira (14), às 9 horas na Escola Estadual Joaquim Murtinho, Centro, e às 14 horas no Ginásio Dom Bosco, Jardim São Paulo.

“Esta premiação é um incentivo muito grande para que o estudante aprenda mais, valorize o conhecimento e busque ser o melhor. É o reconhecimento pelo trabalho e envolvimento dos que estudaram e também da dedicação de diretores, professores e pais”, conta a secretária de Estado de Educação, Maria Nilene Badeca da Costa.

O Programa Escola para o Sucesso foi instituído por meio de um decreto publicado no Diário Oficial do Estado de 4 de fevereiro de 2011. De acordo com o decreto, os estudantes das escolas estaduais de Mato Grosso do Sul que apresentam melhor desempenho escolar, com base nas avaliações bimestrais e assiduidade às aulas, receberão, anualmente, prêmio que poderá ser em espécie, equipamentos ou materiais, de acordo com as definições do governador do Estado.

Para 2013 o governador pretende ir além. “Queremos ter a chance de premiar mais alunos que estão se esforçando a cada ano. Pode ocorrer de o aluno se destacar e conquistar o primeiro lugar em várias séries ao longo da vida escolar. Desta forma ele acaba ganhado todos os anos, com mais prêmios a outros colocados temos oportunidade de premiar mais alunos que também têm se esforçado”, explica o governador.

Fonte: Secretaria de Educação de Mato Grosso do Sul


Criado em: 09 mai 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Jovem de Futuro: Governo implanta projeto para melhorar aprendizagem

Secretaria de Educação do Ceará.

Como melhorar o desempenho dos alunos do Ensino Médio, além de reduzir a evasão? Estes são alguns dos desafios que a escola da rede pública estadual precisa responder e agora passa a contar com o Projeto Jovem de Futuro. O lançamento será nesta quarta-feira, dia 9, às 11 horas, no Palácio da Abolição. A iniciativa reúne os Governos Estadual e Federal, além do Instituto Unibanco, com um investimento total de R$ R$ 9.257.900,00. O evento contará com as presenças do governador Cid Gomes, da secretária da Educação, Izolda Cela, da superintendente executiva do Instituto Unibanco, Wanda Engel e da  coordenadora do Programa Ensino Médio Inovador do MEC, Sandra Garcia.

O Jovem de Futuro é uma tecnologia voltada à Gestão Escolar para Resultados. A base do Projeto é a capacitação de um grupo de gestão, formado por integrantes da própria escola, para a criação de um Plano de Melhoria de Qualidade que é implementado ao longo de três anos, correspondente ao ciclo do ensino médio. Nesse momento, 100 escolas aderiram à iniciativa que beneficiará 92.500 alunos do ensino médio. Cada unidade define seu próprio planejamento, identificando carências e necessidades lado a lado com os parâmetros de qualidade que pretende alcançar em cada aspecto da vida escolar. Podem ser  a média dos alunos, o perfil dos professores, as rotinas administrativas, instalações físicas.

Para a execução de seu Plano de Melhoria, a unidade terá apoio técnico e financeiro, no valor de R$ 100,00 ano-aluno. Além da capacitação para trabalhar com o novo modelo de gestão, receberá também recursos para desenvolver projetos e contará com sistema de reconhecimento e premiação para professores, servidores e alunos.

Para isso, em um período de três anos, as escolas terão que aumentar em 25 pontos a média de desempenho dos alunos em Língua Portuguesa e Matemática, tendo por referência o Sistema Permanente da Educação Básica (Spaece), diminuir em 50% o percentual de alunos com rendimento abaixo do nível intermediário, conforme a escala do Spaece, e reduzir em 40% os índices globais de abandono do ensino médio.

Conforme a secretária Izolda Cela, o projeto vai fortalecer o processo de ensino das escolas para fazer com que os jovens concluam o Ensino Médio com níveis bem mais elevados de aprendizagem. “A previsão é que o Jovem de Futuro esteja implantado em todas as escolas da rede estadual até o final de 2014″ – afirma.

Serviço: Lançamento do Projeto Jovem de Futuro
Data: 09/05/2012
Horário: 11 horas
Local: Palácio da Abolição – Salão de Atos

Fonte: Secretaria de Educação do Ceará


Criado em: 09 mai 2012 | Tags: , , ,
Categoria: Notícias |