Busca no site:

Seduc e Caed realizam reunião de planejamento do Saepi 2013

Técnicos da Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) e do Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação da Universidade Federal de Juiz de Fora (CAED/UFJF) reuniram-se, na tarde desta quarta-feira (17), para planejar a logística de aplicação das provas do Sistema de Avaliação Educacional do Piauí (Saepi). O teste deve ser realizado no início de dezembro deste ano, com alunos da rede estadual de ensino.

A consultora do Caed, Daniele Wiezer, esclarece que o processo deste ano será ainda mais aperfeiçoado pela experiência dos anos anteriores. “Como é o terceiro ano de aplicação do teste, aprimoraremos os pontos que julgamos mais importantes, garantindo a lisura e a fidedignidade dos dados obtidos”, relata.

Uma das novidades para 2013 é a inclusão do 2° ano do Ensino Médio na avaliação, como explica a diretora de Planejamento da Seduc, Ivanilde Castro.

“Os alunos do 2° ano do Ensino Médio das escolas que têm o Programa Ensino Médio Inovador (ProEMI) participam pela primeira vez do Saepi, aumentando a abrangência do teste que nos dá detalhes mais específicos de nossa realidade escolar, mostrando, inclusive, o desempenho do aluno por turma, o que é um diferencial nosso”, destaca a diretora.

As edições anteriores do Saepi resultaram na construção dos planos de intervenção por escola, que está em fase de execução. Os planos buscam sanar os principais gargalos da educação pública do Estado, promovendo assim a melhoria da qualidade do ensino.



Fonte: Portal da Secretaria de Educação e Cultura do Estado do Piauí


Criado em: 18 jul 2013 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Divulgado Índice de Desenvolvimento da Educação Goiana

A Secretaria da Educação (Seduc) divulga o primeiro Índice de Desenvolvimento da Educação Goiana, obtido a partir dos resultados da Prova Goiás, aplicada em novembro do ano passado. O índice, proposto no plano de reforma educacional, o Pacto pela Educação, permite ao Governo de Goiás ter, anualmente, a radiografia do ensino e do aprendizado nas escolas da rede estadual para definir com mais agilidade as intervenções pedagógicas necessárias à melhoria da educação.

Nos anos iniciais (1º ao 5º) do Ensino Fundamental, as escolas da rede estadual alcançaram o índice 5,5, enquanto nos anos finais (6º ao 9º) o índice das escolas atingiu nota 4. No Ensino Médio, as escolas alcançaram o índice 3,5.

O índice é um dos componentes do Sistema de Avaliação do Estado de Goiás (Saego), criado pela atual gestão, e que engloba também a Prova Goiás, aplicada em toda a rede estadual para avaliar o desempenho dos alunos em Língua Portuguesa e Matemática. As provas são aplicadas para os alunos das séries finais das três etapas da educação básica.

As provas do Saego (Prova Goiás), que originam os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Goiana, realizadas pela Secretaria da Educação em parceria com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), foram aplicadas em novembro de 2011 e feitas especificamente para a avaliação das escolas goianas.

Com este sistema próprio de avaliação, a Seduc poderá identificar potencialidades e limitações para redefinir ações e estratégias de apoio a situações de maior vulnerabilidade. O Saego também representa um importante instrumento para mensurar a eficácia das políticas públicas formuladas para a rede pública estadual, pois fornece uma espécie de “raio X” do desempenho do aluno, enquanto outros indicadores, como o Ideb, divulga os resultados das escolas. Outro ponto positivo do Saego, em comparação com o próprio Ideb, é que esse sistema de avaliação da Seduc é anual, ou seja, divulgado num espaço menor de tempo, permite, com mais agilidade, o redirecionamento de esforços e a adoção de novas iniciativas para melhorar o sistema educacional.

O Idego possibilitará ao Governo de Goiás, a partir de agora, definir novas metas para as escolas estaduais com base no índice alcançado em 2011. Essas metas poderão, inclusive, ser revisadas ano a ano, o que não era possível ser feito só com os índices nacionais calculados pelo Governo Federal. “Hoje, por meio do Saego, uma escola da rede pública estadual sabe qual o desempenho de cada aluno. Isto permite que ela reveja ações e estratégias e foque em quem não está muito bem e, ao mesmo tempo, continue incentivando aqueles que estão se destacando. O Saego também possibilita a implementação de programas específicos que melhorem ainda mais o processo de ensino e aprendizagem”, afirma o chefe do Núcleo de Orientação Pedagógica da Seduc, professor Raph Gomes Alves.

Fonte: dm.com.br


Criado em: 24 set 2012 | Tags: , ,
Categoria: Notícias |