Busca no site:

Provas do Saerj 2012 terminam hoje

Alunos com melhor desempenho serão premiados com computadores portáteis.

De 27/11 até a próxima quinta-feira (29/11), os alunos da rede estadual começaram a realizar as provas do Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio de Janeiro (Saerj) 2012. O objetivo principal da avaliação é fazer um diagnóstico do ensino no estado.

Os testes serão aplicados para o 5º ano do Ensino Fundamental (27/11), 9º ano do Ensino Fundamental (28/11), 3ª série do Ensino Médio e 4º ano do Curso Normal (29/11). O mesmo período atenderá aos estudantes das fases equivalentes da Educação de Jovens e Adultos (EJA) e aos concluintes do Programa Autonomia.

É por meio dos resultados do Saerj que a Secretaria de Estado de Educação identifica as deficiências de cada escola, para que possa atuar visando elevar o nível e a qualidade do ensino oferecido pela rede.

O exame, que avalia os alunos nas disciplinas de Português e Matemática, analisa as habilidades que os alunos desenvolveram a partir dos conhecimentos adquiridos em todo o período escolar. As provas de Língua Portuguesa possuem foco em leitura, e as de Matemática buscam testar os alunos na resolução de problemas.

A previsão é de que o resultado do Saerj esteja disponível no primeiro bimestre letivo de 2013.
Resolução institui premiação para alunos da rede que participarem do Saerj

A Secretaria de Estado de Educação publicou, no Diário Oficial desta terça-feira (27/11), a Resolução Seeduc nº 4839, que institui a premiação de alunos da rede estadual que participarem das provas do Sistema de Avaliação da Educação do Estado do Rio de Janeiro (Saerj) 2012.

De acordo com a publicação, os dez mil alunos que obtiverem o melhor desempenho receberão, como premiação, computadores portáteis. A relação dos contemplados ficará disponível no site da Seeduc.

Os alunos que fazem cursos em duas escolas diferentes só poderão receber a premiação por uma das unidades, valendo aquela na qual obtiver a maior pontuação. O mesmo critério será adotado para os estudantes que fazem dois cursos na mesma unidade. Esses concorrerão por um dos cursos, valendo aquele de maior pontuação.

O estudante que não comparecer à cerimônia de entrega terá um prazo de 90 dias para comparecer à Diretoria Regional Pedagógica, responsável por sua unidade escolar, para recebimento do equipamento. Quem não comparecer dentro do prazo estipulado perderá o direito de receber o prêmio.

De acordo com a superintendente de Avaliação e Acompanhamento do Desempenho Escolar, Vânia Machado, a premiação tem como objetivo incentivar a participação dos estudantes no Saerj.

- Para chegarmos a conclusões mais exatas, é importante que o maior número possível de alunos participem das provas. Além de receber a premiação, que reconhece os esforços dos mais dedicados, ao fazer a avaliação, os estudantes cumprem seu papel como cidadãos, contribuindo para a melhoria da educação estadual – afirmou Vânia Machado.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro


Criado em: 29 nov 2012 | Tags: , ,
Categoria: Notícias |

Avaliações do Saepi são aplicadas em todo o Estado do Piauí

A Secretaria de Estado da Educação e Cultura (Seduc) realiza hoje, 28, a avaliação educacional das escolas da rede estadual de ensino, através do Sistema de Avaliação Educacional do Piauí (Saepi).

As avaliações estão sendo aplicadas em todas as escolas da rede e os alunos dos anos finais, 5º ano e 9º ano do Ensino Fundamental e 3º ano do Ensino Médio, são o público-alvo.

“Temos em torno de 80 mil alunos sendo avaliados em todo o estado e temos toda uma estrutura de apoio e coordenação trabalhando. Este ano, estamos avaliando apenas as escolas da rede estadual e pretendemos divulgar o resultado em fevereiro de 2013, para que tenhamos tempo de intervir em algum diagnóstico problemático já no início do ano letivo”, explica Nonato Moura, coordenador do Saepi.

A coordenação do Saepi também disponibilizou uma equipe que ficará de plantão durante todo o dia de hoje, até as 21 horas, para apoio aos supervisores. O telefone do plantão está disponível ao final da matéria.

Além das séries finais, os alunos do 1º ano do Ensino Médio das escolas que fazem parte do Programa Ensino Médio Inovador/Jovem de Futuro também estão sendo avaliados. “São 74 escolas participantes do ProEMI/Jovem de Futuro que estão realizando a avaliação formativa do programa hoje, simultaneamente à aplicação do Saepi. Queremos avaliar o que o aluno está efetivamente aprendendo”, fala Regina Célia, coordenadora do ProEMI/JF da Seduc.

Avaliação formativa

A avaliação em larga escala é pressuposto básico para o entendimento do processo de aprendizagem e já aconteceu em outros momentos da implementação do programa, como a aplicação da avaliação diagnóstica em junho, também para o 1º ano das escolas participantes.

A avaliação diagnóstica se difere da formativa em seus objetivos. Para a avaliação diagnóstica, é importante avaliar em que momento os alunos estão acerca da aprendizagem, gerando um cenário de como está esse processo.

Assim, a avaliação formativa pode orientar e regular a prática pedagógica do professor e da escola, fornecendo subsídios para que também o próprio aluno compreenda seu processo de ensino aprendizagem.

Plantão de apoio aos supervisores: 3216-8420

Fonte: Secretaria da Educação e Cultura do Piauí


Criado em: 29 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Avaliação Formativa, Notícias |

Ministros do Mercosul vão criar indicadores regionais de avaliação

Os países que integram o Mercosul vão realizar em fevereiro, em Buenos Aires, um seminário regional de avaliação da qualidade da educação no bloco. Três níveis serão avaliados: os sistemas educacionais; a metodologia dos instrumentos internacionais, especialmente o Pisa, realizado a cada três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE); a construção de indicadores regionais da qualidade da educação nos países da América do Sul.

A decisão foi tomada durante a 43ª Reunião de Ministros de Educação do Mercosul, realizada nesta sexta-feira, 23, em Brasília, sob a presidência de Aloizio Mercadante. Participaram do encontro, além do ministro brasileiro, os da Argentina, Bolívia, Chile, Equador, Uruguai e Peru. Eles se comprometeram a elaborar, conjuntamente, um documento com análise crítica dos indicadores internacionais de educação do Pisa [Program for International Student Assesment].

“O Pisa é importante para o Brasil, mas a avaliação da educação é muito mais ampla do que o recorte feito pelo exame, que se restringe a alunos de 15 anos. Queremos criar novos instrumentos de avaliação regional”, explicou o ministro Aloizio Mercadante, que tem a presidência pro tempore do Mercosul educacional. O documento final, com sugestões dos ministros, será depois encaminhado ao comitê executivo do Pisa.

Segundo o presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), Luiz Cláudio Costa, o Pisa apresenta algumas distorções que acabam empurrando o Brasil para uma posição menos favorável no ranking internacional. “Se queremos comparar exames de diferentes países, isso é um desafio. É preciso o uso apropriado das técnicas estatísticas”, disse.

Nesse sentido, o ministro de educação da Argentina, Alberto Sileone, disse que o Pisa compara realidades incomparáveis. “Nós vamos ratificar nossa permanência no Pisa, mas somos parte de países que têm encontrado uma posição mais soberana de incorporar reflexões próprias”, afirmou. E sugeriu que os países da América do Sul incorporem um critério comum de avaliação da educação, inclusive incluindo áreas não contempladas pelo Pisa.

Bolsas – Na reunião realizada no Ministério da Educação ficou também definida a criação de um programa de bolsas, custeado pelo Fundo para a Convergência Estrutural e Fortalecimento Institucional do Mercosul (Focem), destinado a financiar projetos em benefício das economias menores do bloco. Serão 1 mil bolsas para estudantes de graduação, 1 mil para a pós-graduação e outras 1 mil para o intercâmbio de docentes e pesquisadores. Num total de 3 mil bolsas anuais, o programa tem previsão de custar R$ 26 milhões.

Os países do Mercosul também vão aumentar o intercâmbio de estudantes, pesquisadores e docentes em cursos de graduação e pós-graduação. “Temos possibilidade de aumentar o intercâmbio e incluir mais países”, afirmou o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Jorge Guimarães. Atualmente dentro do programa de mobilidade no Mercosul, o Brasil tem acordos com a Argentina e Uruguai. As bolsas serão para cursos acreditados no Mercosul: agronomia, arquitetura, engenharia, enfermagem, medicina e odontologia.

Os ministros decidiram ainda ampliar a acreditação de cursos nas áreas de ciências sociais, incluindo sociologia e economia. Será feita também a publicação de uma revista científica sobre humanidades, educação e ciências sociais. “Seria uma publicação trilíngue, em português, espanhol e inglês, para valorizar a produção da academia regional científica”, disse o ministro Aloizio Mercadante.

O vice-ministro de educação do Uruguai, Luis Garibaldi, sugeriu a criação de um banco de recursos educativos digitais e audiovisuais, de livre acesso a todos os países do bloco. A oficina de trabalho com especialistas será realizada em março de 2013, em Montevidéu. A 43ª reunião do Mercosul teve a participação de representantes das centrais sindicais do Cone Sul.

Fonte: MEC


Criado em: 26 nov 2012 | Tags:
Categoria: Notícias |

Escolas de Minas se preparam para Programa de Avaliação da rede Pública de Educação Básica na próxima semana

Expectativa é que mais de 700 mil alunos mineiro participem da próxima edição do Proeb que acontecerá entre os dias 26 a 31 de novembro.

Escolas da rede estadual de Minas Gerais já se preparam, há algum tempo, para a próxima edição do Programa de Avaliação da Rede Pública de Educação Básica (Proeb), que irá acontecer entre os dias 26 a 31 de novembro.

Em várias regiões do Estado as Superintendências Regionais de Ensino (SRE´s) de Minas Gerais desenvolveram ações voltadas para toda a comunidade escolar, envolvendo pais, alunos e professores. Na superintendência Regional de Ensino da Metropolitana B, que atende 214 escolas e mais de 200 mil alunos, vídeos motivacionais, como a fábula “Os Três leões”, reuniões com diretores, textos que dialogam com os alunos sobre o Proeb e até um bingo baseado em palavras chaves do programa foram algumas das atividades desenvolvidas.

A gerente do Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP) dos anos finais do ensino fundamental na SRE Metropolitana B, Marlene Temponi, contou que uma das últimas ações desenvolvidas aconteceu no final de outubro, no dia 29, quando uma reunião com diretores foi realizada e um varal literário, feito das melhores produções textuais de alunos sobre a avaliação, promovido em cada uma das escolas participantes.

“Isso é legal, porque nossos estudantes estão entendendo pela primeira vez com propriedade do que se trata o Proeb. A razão, os objetivos e a importância da prova. Quais as consequências de um bom resultado ou de um resultado aquém para escola. Os diretores foram também mobilizados e convidados para traçar um plano para a escola. Estabelecemos que todos deveriam ter um. Os analistas educacionais também fizeram coletivas com os alunos do 9º ao do Ensino Médio e realizamos o I Fórum de Especialistas para desenvolver um plano de trabalho com base nesta avaliação externa, porque os resultados refletem o produto do trabalho que nós (profissionais) desenvolvemos”, explicou Marlene.

O bingo foi feito a partir de palavras-chaves relacionadas ao Proeb, escolhidas pelos alunos como, ‘educação, desempenho, Simave, Currículo Básico Comum, PIP, políticas públicas, competências, cidadania, resultados, alunos, diagnóstico, qualidade, professor, provas, necessidades, avaliação, proeb, ensino’. O prêmio pedagógico foram materiais simbólicos que a escola tinham de pronta mão, como canetas e calculadoras para os alunos.

A vice-diretora da Escola Estadual Hugo Werneck Vanilda Fendler contou que na sua comunidade já se tornou um procedimento de praxe introduzir os pais, na primeira reunião escolar letiva, sobre as razões da avaliação do Proeb. “Quando os pais vem conhecer o regimento escolar, aproveitamos para explicar o intuito da avaliação e os resultados passados do Simave (Sistema Mineiro de Avaliação da Educação Pública), – a proficiência dos nossos alunos. Isso gera tranquilidade e mobiliza os pais frente aos filhos. Frisamos, por exemplo, a importância de garantir a freqüência escolar para o processo de aprendizado. Mostramos como as questões estão interligadas. Todos os alunos já tem consciência das avaliações internas e externas que irão se submeter, como o Proeb”, contou Vanilda.

Ainda segundo a vice-diretora, uma gincana cultural que reforça o objetivo e a importância da avaliação, incentivando a participação, faz parte também do esforço da Hugo Werneck para incentivar seus estudantes. “Sensibilizamos os alunos para a importância de lerem a prova com atenção e compromisso, e entregamos um bilhete individual agradecendo a participação. Uma merenda especial é também entregue no dia”.

Os professores, que estão na ponta do processo, foram também priorizados no trabalho de sensibilização para as competências a serem desenvolvidas com base nas diretrizes do Currículo Base Comum testadas pelo Proeb.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais


Criado em: 22 nov 2012 | Tags: , ,
Categoria: Notícias |

Segunda Edição do Avalie Alfa na Bahia

Fátima Medeiros

Fátima Medeiros

A Secretaria da Educação do Estado da Bahia realiza a segunda edição do Avalie Alfa – Avaliação da Alfabetização do Estado da Bahia entre os dias 19 e 23 de novembro. A iniciativa é direcionada para todos os estudantes do 2º ano de escolarização Ensino Fundamental das escolas estaduais e dos 329 municípios que aderiram ao Pacto com Municípios. O objetivo central é revelar o desempenho dos alunos para as escolas envolvidas e, desta forma, contribuir para a melhoria da educação pública. Serão avaliadas as competências e habilidades construídas pelos estudantes nas áreas de Língua Portuguesa – leitura e escrita – e Matemática.

“Os resultados dessa avaliação permitem a produção de informações que subsidiam reflexões pelas redes de ensino público do Estado para a implementação de políticas públicas e definição de estratégias que promovam mudanças na prática pedagógicas, considerando a realidade de cada unidade escolar, Com essa avaliação é possível saber, por exemplo, as habilidades que ainda não foram desenvolvidas pelos estudantes”, disse Fátima Medeiros (foto), coordenadora de Avaliação da Secretaria da Educação do Estado.

O sistema de Avaliação em Larga Escala consiste na aplicação de um teste padronizado, constituído por 24 questões, além de questionários sociocontextuais, que serão aplicados a professores e gestores, com a finalidade de identificar fatores relacionados à gestão pedagógica e ao desempenho escolar dos estudantes. As provas acontecem em dois dias em cada escola. No primeiro, será aplicada a avaliação de língua portuguesa, e, no segundo, de matemática. As avaliações vão ser realizas considerando o turno de funcionamento das turmas nos seguintes horários: pela manhã (8h30 às 10h30), pela tarde (14h às 16h).

As provas serão aplicadas por agentes externos à escola e os resultados serão divulgados por meio de relatórios técnicos e pedagógicos para o Órgão Central, secretarias municipais de educação, Direc e para as escolas participantes. A preocupação da secretaria é fazer também com que os pais ou responsáveis pelos estudantes avaliados entendam os resultados e se envolvam com a aprendizagem dos seus filhos(as), por isso eles recebem os resultados da avaliação por meio de boletim.

Fonte: Secretaria da Educação do Estado da Bahia


Criado em: 22 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Mais de 700 mil alunos farão as provas do Spaece 2012

Teve início na última segunda-feira, dia 19, e prossegue até a próxima quinta-feira, dia 22, a aplicação do Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica (Spaece) 2012 para os alunos de 1ª a 3ª séries do Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA). No período de 3 a 7 de dezembro, será a vez dos estudantes do 2º, 5º e 9º anos do Ensino Fundamental e EJA – 2º segmento. Um total de 729.800 alunos da rede pública participa das provas. A iniciativa tem como finalidade diagnosticar a qualidade da educação pública cearense e subsidiar a implementação de ações de intervenção e monitoramento com foco na melhoria do ensino ofertado.

O Sistema avalia as competências e habilidades nas áreas de Língua Portuguesa e Matemática dos estudantes. Mas em 2012, o Spaece traz novidades para os alunos do 3º ano do Ensino Médio. Os testes das duas disciplinas estão em  convergência  com  a  proposta da Matriz de Referência para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), recebendo  a  denominação de Testes de Linguagens e Códigos e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias. Haverá também a aplicação  da prova  de  Redação,  bem  como  de  testes para as áreas de Ciências da Natureza (Física, Química e Biologia) e de Ciências Humanas (História, Geografia, Filosofia e Sociologia).

Outra inovação vai para as crianças do 2º ano do ensino fundamental. Cada turma  contará com seis modelos de caderno de testes.  A terceira mudança beneficia todos os níveis de ensino. Haverá duas versões dos cadernos de testes para todos os níveis de ensino: Ampliada e Braille.

Além dos testes, também são aplicados questionários contextuais, investigando dados socioeconômicos e hábitos de estudo dos alunos, perfil e prática dos professores e diretores.

O Spaece foi criado há 20 anos. A partir de 2007, a atual gestão da Seduc ampliou sua abrangência, instituindo a Avaliação da Alfabetização e expandindo a Avaliação do Ensino Médio para as três séries, de forma censitária. Dessa forma, o Spaece passa a ter três focos: Avaliação da Alfabetização – Spaece-Alfa (2º ano do EF), Avaliação do Ensino Fundamental (5º e 9º anos do EF) e Avaliação do Ensino Médio (1ª, 2ª e 3ª séries do EM).

Fonte: Secretaria de Educação do Ceará


Criado em: 21 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Seduc(RO) avalia rede estadual de ensino

Teve início nesta segunda-feira (19) e deve ser concluída na quarta-feira (21) a aplicação de exames do Sistema de Avaliação do Ensino (Saero), implementado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc) em convênio com o Centro de Políticas Públicas de Avaliação em Educação (CAEd), órgão da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). O objetivo do programa é fornecer um diagnóstico dos níveis de aprendizagem e da eficácia do ensino para nortear a definição de estratégias pedagógicas e administrativas que corrijam as deficiências verificadas.

Neste primeiro dia, a aplicação do exame é feita em escolas de difícil acesso. Já nesta terça-feira, é a vez dos alunos das áreas urbanas. Haverá ainda uma pauta complementar na quarta-feira, finalizando-se os trabalhos. O exame abrange duas disciplinas consideradas base para as demais, língua portuguesa e matemática.

Participam dos exames os alunos do 2º e 5º anos, que correspondem à primeira e última séries da fase inicial do ensino fundamental, e do 6º e 9º anos, que correspondem à primeira e última séries da fase final. No ensino médio, o exame é aplicado aos alunos dos três anos.

Recentemente, a secretária de Estado da Educação, Isabel de Fátima Luz, participou em Massachussets (EUA) de um seminário coordenado pela Universidade Harvard, instituição que interage em tecnologia da gestão educacional com o CAEd. Rondônia é o 21º estado a aderir a essa sistemática de avaliação e diagnóstico.

O Saero difere em dois pontos básicos das provas que são aplicadas nacionalmente para aferir desempenho das escolas: a quantidade de séries examinadas e realizar-se todos os anos. O projeto prevê que os exames ocorram sempre no mês de novembro.

A metodologia utilizada também um diferencial, pois, ao diagnosticar as competências que não foram desenvolvidas pelos alunos, o Saero vai permitir saber se é uma situação localizada – da criança, da sala, do município, do professor – ou geral. Para esse diagnóstico minucioso concorrem informações que são levantadas paralelamente à aplicação dos exames, como o diagnóstico socioeconômico e a aferição de assiduidade às aulas, dentre outros.

A pedagoga Ceiça Pinheiro, gerente de Avaliação e Estatística da Seduc, informa que em fevereiro todos os dados já estarão tabulados, sendo objeto dos debates na Semana Pedagógica. “Recomendamos aos alunos que façam a prova com tranquilidade, leiam e releiam as perguntas e, principalmente, participem do Saero, sem medo de errar, sem medo de dizer ‘não sei’, porque é esse ‘não sei’ que vai nos dizer o que precisa saber”, diz Ceiça, observando que os dados levantados no exame são apenas para avaliação diagnóstica e não vão para o histórico escolar do aluno.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação de Rondônia


Criado em: 21 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Seduc(AM) avaliará mais de 270 mil estudantes por meio do Sadeam

Secretário da Seduc, Rossieli Silva, orientou supervisores do Sadeam 2012

Secretário da Seduc, Rossieli Silva, orientou supervisores do Sadeam 2012

O Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Educação (Seduc), concluiu a etapa de formação dos profissionais que atuarão na edição de 2012 do Sistema de Avaliação do Desempenho Educacional do Amazonas (Sadeam). Criado pela Seduc, o sistema permite a avaliação do desempenho individual e coletivo dos estudantes, oferecendo subsídios para uma gestão de qualidade na educação básica.

Neste ano, as provas serão aplicadas entre os dias 21 de novembro e 7 de dezembro, abrangendo 276.617 estudantes da rede pública estadual em todos os 62 municípios do Amazonas. Para os alunos do 3º, 5º, 7º e 9º anos do ensino fundamental (e EJA) serão aplicadas avaliações de Leitura (Língua Portuguesa) e Matemática e para os do 1º e 3º ano do Ensino Médio serão aplicadas provas nos moldes da avaliação do Enem, nas quais serão abordadas as matrizes: ‘Linguagens, Códigos e suas Tecnologias’, ‘Matemática e suas Tecnologias’, ‘Ciências da Natureza e suas Tecnologias’ e ‘Ciências Humanas e suas Tecnologias’.

Para assegurar o sucesso da aplicação das provas em todo o Amazonas, a Seduc capacitou na última semana os supervisores e multiplicadores que serão responsáveis pela condução do Sadeam em todas 62 localidades do Estado. Durante a formação os técnicos receberam instruções metodológicas e materiais didáticos instrutivos referentes à organização e aplicação das provas.

Presente na capacitação, o secretário de Estado de Educação, Rossieli Soares da Silva, ressaltou que o Sadeam é um instrumento avaliativo de suma importância para a garantia da qualidade do ensino público no Amazonas e que vem se consolidando a cada ano. “A avaliação é consistente e permite a elaboração de um diagnóstico da educação estadual. De porte deste diagnóstico a Seduc intervém nas áreas onde precisa avançar e planeja sistematicamente suas ações na busca pela qualidade do ensino”, informou o secretário.

Segundo Rossieli Silva, o Governo do Estado, por meio da Seduc, aplica o Sadeam anualmente e a cada período se consolida mais. “Em 2008, no ano de sua criação, o sistema avaliou 23.014 alunos; em 2009, 57.192; em 2010, 77.376 e no passado 124.076. Agora em 2012 avaliaremos 276.617 alunos, tendo uma amostragem cada vez mais real de nosso sistema de educação”, citou.

A gerente de Avaliação e Desempenho da Seduc, Jane Bete Nunes, acrescentou que, como nos anos anteriores, todas as medidas estão sendo tomadas para a viabilização e garantia do sucesso desta edição do Sadeam. “Com uma força-tarefa que envolve planejamento e execução, nossa equipe está atuando no sentido de garantir a excelência na aplicação das avaliações em todos os municípios do Amazonas”, disse.

Neste ano, o Sadeam é aplicado pela Seduc em parceria com o Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (CAEd).

Fonte: Secretaria de Estado de Educação do Amazonas


Criado em: 19 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Secretaria da Educação do Paraná vai avaliar 250 mil alunos da rede pública no dia 22 de novembro

A Secretaria de Estado da Educação vai promover no próximo dia 22 de novembro a primeira prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica do Paraná (Saep). O novo sistema foi desenvolvido para medir a aprendizagem dos estudantes e para subsidiar os professores na prática docente, facilitando a formulação e o monitoramento de políticas educacionais.

De acordo com o vice-governador e secretário de estado da Educação, Flávio Arns, o Saep é uma ferramenta a mais para auxiliar na melhoria da qualidade da educação. “Estamos preocupados em garantir educação de qualidade para os estudantes de todas as regiões do Paraná e para isso criamos uma ferramenta própria para medir o desempenho dos alunos e orientar nossos professores e pedagogos na prática docente, para reforçar os conteúdos que não estão sendo bem assimilados”, explica Flávio Arns.

Neste ano, a prova do Saep vai envolver 250 mil estudantes do 9º ano do Ensino Fundamental (antiga 8ª série) e do 3º ano do Ensino Médio e do último ano do ensino médio técnico e de formação de docentes, que estão matriculados em 2.100 escolas da rede estadual. Eles vão responder 26 questões objetivas da disciplina de matemática e 26 questões de português. O tempo de aplicação da prova é de três horas. A partir de 2013, o Sistema de Avaliação da Educação Básica será aplicado duas vezes ao ano (março e novembro) e poderá incluir também outras disciplinas.

A avaliação também prevê a aplicação de questões pedagógicas e de gestão, que serão respondidas por diretores e professores das disciplinas de matemática e português, que somam pouco mais de 17 mil profissionais.

Um dos motivos que levou o Paraná a desenvolver um sistema próprio de avaliação da qualidade do ensino das escolas públicas é o fato de que os resultados das avaliações atuais, feitas pelo governo federal, demoram muito para chegar às mãos dos professores e pedagogos. Além disso, outros estados já possuem sistemas próprios de avaliação. Por meio desta avaliação, também será possível identificar boas práticas verificadas em escolas e que podem ser disseminadas.

“Com o Saep, vamos ganhar agilidade na avaliação da qualidade do ensino nas escolas e também teremos uma avaliação mais direcionada e fiel sobre a aplicação das diretrizes curriculares do nosso estado. Hoje dependemos do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), que é divulgado a cada dois anos”, explica a superintendente da Educação, Meroujy Cavet.

SERVIÇO: Prova do Sistema de Avaliação da Educação Básica do Paraná.

Data: 22 (quinta-feira).

Horário: No turno em que o aluno estuda.

Manhã – 8h30 às 11h30.

Tarde – 14h às 17h.

Noite – 19h20 às 22h20.

Local: escolas da rede estadual de ensino.

Participação: Alunos do 9º ano do ensino fundamental, do 3º ano do ensino médio, de formação de docentes e do ano de conclusão do curso técnico do ensino médio integrado das escolas da rede estadual de ensino.

Material para a prova: Lápis, borracha e caneta esferográfica preta ou azul.

Fonte: Secretaria da Educação do Paraná


Criado em: 16 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |

Dia Nacional da Alfabetização: Quando letras e palavras passam a fazer sentido

Em Minas Gerais,  88,9% dos estudantes da rede estadual matriculados no 3º ano do ensino fundamental leem, escrevem, interpretam e fazem síntese em um nível considerado recomendável

O pequeno Samuel Oliveira Ferraz Porto, de 08 anos, é um apaixonado pelos livros. O gosto pela leitura teve início quando o aluno do 3º ano do ensino fundamental da Escola Estadual Dom Helvécio, em Ipatinga, deixou de imaginar o conteúdo das histórias que lia e começou a compreender o que estava escrito nas publicações. É pensando em exemplos como o de Samuel que Minas Gerais celebra, com entusiasmo, o ‘Dia Nacional da Alfabetização’, comemorado nesta quarta-feira (14-11).

“Eu fui o primeiro da minha sala que aprendeu a ler e isso foi muito legal. Com a leitura posso aprender melhor as coisas. Quando eu crescer quero ser um cientista para poder fazer muitas experiências e sei que vou precisar estudar muito. A leitura é muito importante pra isso”, conta Samuel.

Para a professora do 3º ano do ensino fundamental, Maria Aparecida de Jesus Honorato, ver uma criança alfabetizada é uma recompensa. “Uma criança alfabetizada é resultado de um trabalho em equipe. Quando o estudante chega ao terceiro ano ele já está lendo um pouco. Nessa fase vamos trabalhar com aluno a fluência. No final do ano, ver ele lendo com fluência, entendendo o que está lendo e criando seus próprios textos é um prêmio para nós professores”, ressalta.

A educadora destaca ainda que o processo de alfabetização deve ser prazeroso. “A leitura deve ser agradável e tem que despertar no aluno o prazer em ler. O aluno precisa compreender a finalidade do texto e não apenas ler por ler. Isso acontece quando o professor incentiva o estudante de forma positiva e utiliza estratégias lúdicas e diferenciadas”, conclui Maria Aparecida de Jesus Honorato.

Segundo a subsecretária de Desenvolvimento da Educação Básica, Raquel Elizabete de Souza Santos, “o aluno alfabetizado é aquele que sabe ler, interpretar e fazer as inferências dentro das competências de uma criança de oito anos”.

Resultados mineiros

De acordo com os últimos resultados do Programa de Avaliação da Alfabetização (Proalfa), realizado em 2011, 88,9% dos estudantes da rede estadual de Minas Gerais matriculados no 3º ano do ensino fundamental leem, escrevem, interpretam e fazem síntese em um nível considerado recomendável. Esse índice vem crescendo de forma consistente, nos últimos anos e subiu mais de 40% desde a primeira aplicação da Avaliação, em 2006, quando 48,6% dos estudantes estavam no nível recomendável.

No Estado, um dos grandes responsáveis pelo crescimento da alfabetização dos estudantes é o Programa de Intervenção Pedagógica (PIP). A iniciativa foi criada em 2007, e usa os resultados das avaliações para traçar metas de avanço e garantir que toda criança esteja lendo e escrevendo até os oito anos de idade.

O programa é um dos responsáveis pelo bom desempenho dos alunos nos anos iniciais do ensino fundamental. Na última edição do Ideb (Índice da Educação Básica), realizado pelo Ministério da Educação (MEC), Minas Gerais ficou em primeiro lugar entre as redes estaduais, atingindo média 6 (índice dos países da OCDE). Em 2012, foi estendido aos anos finais do ensino fundamental.

Em Minas Gerais, 41,5% das escolas que oferecem os anos iniciais de ensino fundamental alcançaram Ideb maior ou igual a 6; 94% alcançaram Ideb maior ou igual à meta do Brasil para 2011 que é de 4,7; 76,6% possuem índice maior que a meta para o Sudeste, rede estadual, em 2011 (5,3); e 56,9% alcançaram Ideb maior que a meta estabelecida para a rede estadual de Minas Gerais em 2011 (5,7).

Programa de Avaliação da Alfabetização

O Proalfa é um importante instrumento de avaliação para o Estado e para os municípios. O exame que tem por objetivo avaliar a capacidade de leitura, escrita, interpretação e síntese dos estudantes ao fim do ciclo de alfabetização acontece anualmente. O Proalfa é, portanto, direcionado a todos os estudantes da rede pública do 3º ano do ensino fundamental e de maneira amostral aos estudantes do 2º e 4º anos do ensino fundamental.

O Proalfa é aplicado não só nas escolas da rede estadual, mas também nas escolas municipais de Minas Gerais. No total, cerca de 400 mil estudantes fazem as provas todos os anos e o índice de participação no Estado nas últimas edições ultrapassou os 90%.

As provas são desenvolvidas e corrigidas pelo Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação (Caed), da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Aplicados nas próprias escolas, os testes são distribuídas para as 47 SREs que, por sua vez, repassam às escolas. Ao fim da aplicação, as provas retornam para Juiz de Fora, onde são corrigidas.

Dia Nacional da Alfabetização

O Dia Nacional da Alfabetização foi instituído em 1966,  pelo decreto nº 59.452 de novembro de 1966.

Fonte: Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais


Criado em: 16 nov 2012 | Tags: ,
Categoria: Notícias |
12